[Review] Black Clover – “Eu não vou te deixar morrer”

Radros cai como um meteoro, após o ataque combinado de Asta e Fanzle. Agora, o problema é a Salamandra de fogo que se mostra imponente de frente ao nosso grupo!

Memórias são algo deveras importante para nós, seres humanos. Formamos nossa personalidade baseado nas memórias que construímos ao longo do tempo. Memórias essas que retratam pessoas que foram importantes para nós, que compartilharam experiências, aprendizados, amor, carinho, ódio e etc. A memória nos molda como seres humanos. Para Mars, suas memórias são tudo.

O capítulo começa com Radros sendo derrotado. Zell (maneira como astra chama o ex-general Kruger) está arrasado com o sumiço da magia de seu ex-pupilo. É compreensível. Os sentimentos dele por seus alunos ainda é muito forte, afinal. Asta, Fanzle e Mars encontram-se e iniciam uma conversa rápida. Como sempre, o bom humor de Asta arranca no mínimo uns sorrisos do leitor. Detalhe interessante para a carranca fechada de Mars, ao explicar que ele não é inimigo.

Destaque para o alívio cômico Asta

A conversa dura pouco. Afinal a Salamandra de fogo ainda está de pé, firme e forte. Os três precisam resolver esse problema quente (entendeu? Quente! ah deixa pra lá). Enquanto processa a informação de estar diante da Salamandra sagrada, Mars tem um vislumbre da moça que controla o monstro. A sua expressão de surpresa já informa ao leitor que tem alguma coisa errada. Será se o ex-vilão (podemos chamar assim?) conhece a moça? A chama que sai da Salamandra é familiar, afinal: Mars também a possui.

“Rapaz, eu conheço essas chamas de algum lugar”

Sim, Mars conhece a moça. E inclusive ela nos foi apresentada no capítulo 17, durante as memórias de Mars, no momento em que ele estava sendo derrotado por nosso amado protagonista. Na época, o quadro inserido por Tabata-sensei não fez muito sentido. Mas é interessante voltar ao capítulo e ler novamente, para entender que o personagem Mars vinha sendo construídos desde antes.

Aquela cena que corta o coração

No capítulo 18, quando Mars recobra os sentidos graças sua magia de cura, começamos a entender que o reino Diamond realizava experimentos em pessoas com o intuito de aumentar seu poder mágico, dando ao mago outro tipo de magia. Radros é um exemplo desse tipo de experimento (fato citado nos nossos últimos reviews). É interessante perceber que, na época, Radros não estava tendo um flashback apenas; ele estava recobrando suas memórias, processo desencadeado pela luta com Asta.

Um presente ingrato não é?

Também no capítulo 18 fomos apresentados a relação de Mars e Fana. Aparentemente, ambos cresceram juntos, presos no reino Diamond, treinando para serem magos. O teste final do treinamento deles consistia em matar um ao outro. Após uma matança geral entre todos os aspirantes a mago que participavam do experimento, Tabata-sensei dá a entender que o único que sobrou foi Mars, porque Fana se sacrificou para o rapaz continuar vivo, como mostrado no capítulo 21. Como vencedor e único sobrevivente, Mars tornou-se um mago do reino Diamond.

Interessante esse trecho da pedra mágica. Explica de forma interessante como Mars é tão forte

No fim da batalha com Asta, Mars recobra sua memória. E agora, após muito tempo sem se ver, os amigos se reencontram de uma forma chocante.

Nani!?

A expressão de surpresa e medo estampada no rosto de ambos os personagens é sensacional e mostra o quanto a arte de Tabata-sensei é sensacional. As micro-expressões no rosto de cada um mostra claramente que esse encontro era inesperado para Mars.

O flashback após essa cena mostra o quanto Fana era uma menina amável e otimista. Ela parecia ser uma pessoa que usava seus poderes com o objetivo de cuidar das pessoas de seu amado reino e lutava com todas as forças para cumprir esse objetivo. Infelizmente, Fana faleceu nas mãos de Mars. E aquela que era seu alicerce pereceu, e com ela, a sanidade mental do mago dos cristais.

Eu citei nos reviews anteriores que a construção de Mars dependia diretamente de uma explicação, e como esperado de Tabata-sensei (e seus editores também) a explicação veio. Mars quando recobrou suas memórias fez de tudo para seguir em frente com o sonho de Fana, ou seja, usar seus poderes para salvar pessoas, proteger pessoas. Essa era a explicação que faltava para os capítulos anteriores fazerem sentido. Agora está explicada a mudança repentina no nosso ex-vilão.

Agora podemos ir ao clímax desse capítulo. Ao perceber que sua grande amiga (crush também, creio eu) está viva e sem memórias, o rapaz parte pra cima dela de forma desenfreada e louca.

CORRE, NEGRADA!

Ao perceber que sua crush amiga não o notou lembrou-se dele, Mars fica desolado, e é amparado por Asta. Kruger tem um estalo de memória e também lembra-se da garota, e explica novamente ao leitor toda a história do reino Diamond de experimentos com magos. Também temos um quadro bem explicativo sobre o óbvio: o olho no centro da testa da menina está controlando ela.

Esse olho na testa me lembrou o Hiei do YUYU HAKUSHÔ (o maior triolho que você respeita)

Com todas essas pessoas dizendo que sabem quem ela é, a garota está a beira de um colapso nervoso, e ataca o grupo com sua magia de chamas. Tomado pela culpa de ter matado sua companheira, Mars recebe todo o ataque dela como forma de se punir pelo que fez sua amiga passar. A relação dos dois foi forte demais para o mago dos cristais esquecer e se perdoar.

Asta, entendendo a dor do companheiro improvável, dá mais um de seus discursos que mudam a vida das pessoas. Esses discursos do Asta são tão clichés, mas são tão bons. Se você abstrair o texto e entender as entrelinhas do personagem, conseguirá compreender a real força de Black Clover: seu protagonista forte e determinado. Tudo bem que mangás shonnens geralmente tem personagens muito parecidos (Luffy, Naruto, Ichigo, Gon… a lista é imensa) mas Asta possui uma coisinha a mais (que eu sinceramente não sei descrever o que é) que me faz continuar lendo e me empolgar em uma cena como essa:

Já dá pra contratar o Asta para ministrar palestras motivacionais

A determinação, a força, a vontade de viver e a dedicação de Asta contagiam. São sentimentos muito fortes que conseguem ser perfeitamente expressos em uma arte de tirar o fôlego. E se tais sentimentos contagiam o leitor, óbvio que contagiam Mars e Fanzle que resolvem não desistir e ajudar sua companheira perdida.

O grupo de ataque chega a conclusão que somente a magia de Asta terá efeito contra a Salamandra de fogo (uau, que surpresa), uma vez que nem a água de Noelle deu jeito. Com isso em mente a determinação de Asta contagia todos, nos deixando ansiosos para como toda essa situação irá se desenrolar.

O poder da determinação!

Agora, esse revisor que vos escreve, queima a língua (ou seria os dedos?) porque não acreditou no potencial de Mars. Eu fui muito cético em relação a mudança repentina do personagem porque simplesmente não me recordava dos eventos do capítulo 20. Mas me deem um desconto: Black Clover é um mangá muito rápido, muito dinâmico. Como seu grande foco é nas batalhas mágicas e o roteiro nunca foi muito o forte da obra, algumas informações acabam passando batido.

Eu gostei bastante do desfecho que o arco de Mars está se encaminhando para ter. Agora, como eu já havia citado, é esperar e confiar na determinação de Tabata-sensei e Asta para salvarem Fana de sua cruel realidade. E esperar pra ver como o arco do reino Diamond irá se construir ao longo do mangá. Com certeza estarei escrevendo empolgado, afinal estamos falando de Black Clover.

Black Clover atualmente não possui publicação no Brasil.

Comments

comments