[Review] Berserk – Retorno Triunfante ao Amanhecer

O confronto entre Griffith e Jötunn chega ao seu fim esperado.

Depois de um capítulo fragmentado em duas partes (356.1 e 356.2), tivemos um capítulo inteiro. O destrutivo e intenso embate entre a raça dos Gigantes, liderada pelo terrível JÖTUNN, e o Novíssimo Bando do Falcão da Luz, liderado por FEMTO, chega a uma conclusão definitiva. Vamos ao review.

Griffith quer o Reino só para ele e não admitirá nenhum outro concorrente!

Griffith liquida Jötunn com o seu golpe predileto: perfura a cabeça do inimigo pelo olho com uma técnica de esgrima rápida e suave. Foi um golpe frio, fino e veloz, que em menos de um segundo atravessou o cérebro do Rei dos Gigantes, matando-o no mesmo instante. Essa não foi a primeira vez que Griffith executou este movimento fatal de esgrima. Tivemos aquela vez durante a Queda do Forte Doldrey em que Griffith executou Genon(governador-geral do império Tudor); e houve aquela vez que Griffith executou um general do exército Kushan (coincidência ou não, mas, durante o Eclipse, um dos Apóstolos furou o olho direito de Guts). Imagino que Griffith tem uma preferência especial por perfurar a cabeça dos seus inimigos através dos olhos porque não há osso nessa região do crânio, de modo que a sua espada não encontra nenhum obstáculo e penetra com rapidez e facilidade. Nesse aspecto, Griffith é brilhante, pois essa é uma maneira rápida e suave de matar o inimigo.

Através da magia de Sonia (telepatia), Griffith mostra aos Gigantes a morte de seu líder. Esta foi uma estratégia muito inteligente e esperta, pois mexeu com o psicológico dos Gigantes e os deixou abalados e atordoados, totalmente perdidos e desesperados no campo de batalha. Nessas condições, eles se tornaram mais fracos e indefesos do que já eram e já estavam antes de Jötunn morrer. Na batalha, o guerreiro ou o cavaleiro não precisa apenas estar bem fisicamente, mas precisa sobretudo está bem psicologicamente, pois de nada serve uma mente fraca em um corpo forte ( e Griffith sabe muito bem disso). Mais uma vez, Griffith provou ser um brilhante estrategista militar. A propósito, sempre que vejo a magia de Sonia em ação, me pergunto se ela a despertou naturalmente e espontaneamente (ou se foi estimulada pela vinda de Femto ao mundo real e pela fusão dos mundos físico e espiritual). Mas também me pergunto se Femto lhe concedeu este dom artificialmente apenas porque precisava de um oráculo (profetisa) para operar através dela a quiromancia. Isso fica como provocação 😉

Confundindo e amedrontando o inimigo!

Os Gigantes, sem liderança e sem estratégia, dispersos e desorganizados, foram implacavelmente perseguidos e abatidos no campo de batalha. No fim, o exército dos Gigantes foi facilmente massacrado e aniquilado completamente. Apesar da arrasadora vitória, o Novo Bando do Falcão teve perdas, e isso dá para constatar pelas almas dos mortos que orbitam Griffith. Mas foi uma perda insignificante comparada a acachapante vitória sobre um inimigo tão poderoso e perigoso. Pelo que Mule disse, a raça dos Gigantes ocupava o leste de Midland, e isso quer dizer que esta área está agora livre de ameaças. Assim, ao que parece, o plano de Griffith é libertar Midland das ameaças demoníacas, pra assim possibilitar ao povo voltar às suas terras e cidades natais, e assim restabelecer o reino. Enquanto Griffith não libertar Midland das ameaças demoníacas, ele não terá o seu tão sonhado reino, pois no momento ele governa apenas uma cidade sobrecarregada de pessoas, animais e monstros.

E assim Griffith extermina a Raça dos Gigantes! Quem será a próxima?

Ao fim da batalha, todos se reúnem ao redor de Griffith para prestar suas homenagens àqueles homens que morreram lutando pela causa da humanidade. Todos contemplam maravilhados a performance espiritual de Griffith, na qual os espíritos dos mortos gravitam em redor dele. Sempre que vislumbro esta imagem assustadoramente maravilhosa, me pergunto o que Griffith faz realmente com essas almas! Sabemos que Griffith renasceu como Femto graças as dezenas de almas sacrificadas durante o Eclipse demoníaco, e sabemos que todas aquelas almas foram aprisionadas e absorvidas na dimensão demoníaca da Mão Divina. Assim, cabe a seguinte indagação: será que Griffith absorve ou consome estas almas de alguma forma? Ou ainda: por que Griffith faz questão de mostrar esta surpreendente sessão espiritual aos vivos? Ai tem coisa! Suspeito que há algo perverso e diabólico por traz dessa admirável atuação espiritual. Essa curiosidade fica como provocação 😉

Seria isso apenas uma demonstração dos poderes sobrenaturais de Griffith?

Curiosidades à parte, vamos ao evento mais interessante desse capítulo: “um portal mágico”! Pois bem, Sonia descobriu nos arredores do campo de batalha as ruínas de um antigo local de culto aos espíritos da natureza (elementais). A magia perceptiva de Sonia sentiu a poderosa magia daquele lugar e, mais que isso, compreendeu imediatamente que se tratava de um portal mágico. Intuitivamente, ela soube que aquele lugar mágico poderia ser restaurado por Griffith e utilizado para transportar o Bando até Falconia em poucos minutos. Isso mostra que Sonia é uma bruxa poderosíssima, pois, além de adivinha, é uma poderosa sensitiva, e sua intuição é formidável. Aqui surge a dúvida se Sonia encontrou este lugar por conta própria ou se Griffith já sabia e apenas inspirou isso nela. Essa dúvida também fica como provocação aos fãs e leitores de Berserk 😉

Esse monumento apareceu quando Guts estava indo para a casa de Godo ver Caska. Puck menciona que é um local feito para venerar os elfos.

A função mágica desse antigo local sagrado é restabelecida após Grunbeld levantar as pilastras e pô-las em suas posições originais. Depois disso, Griffith, através de sua potente magia, ativa os poderes do lugar e o transforma em uma passagem espaço-temporal. Surpreendentemente, em poucos minutos, ao entrar nas colunas enfileiradas, toda a comitiva de Griffith, humanos e Apóstolos, são teletransportados para o interior de um dos imensos ramos da Árvore do Mundo. E em poucos minutos eles são conduzidos ao pé da grande Árvore do Mundo, de frente à Falconia. É surpreendente ver que em pouquíssimo tempo eles atravessaram toda Midland. Isso quer dizer que se Sonia encontrar mais desses locais mágicos, Griffith e o Bando poderão se mover rapidamente por todo o reino, cobrindo longas distâncias em minutos, e assim “limpar” Midland das ameaças demoníacas em questão de semanas.

O monumento achado por Sonia é idêntico ao Stonehenge.

A boa notícia é que apenas Griffith e Sonia podem viajar efetivamente através desses caminhos espirituais devido a ambos possuírem uma poderosa ligação com o plano astral, de modo que as tropas do Novo Bando não podem viajar livremente por eles. Assim, somente Griffith e Sonia conseguem se orientar nos caminhos da Grande Árvore sem se perderem, pois ambos possuem uma poderosa magia perceptiva e intuitiva. A má notícia é que Griffith poderá usar esses caminhos para alcançar e atacar Elfhelm (ou a terra dos Bakiraka) a qualquer momento, caso o Reino das Fadas (ou dos Assassinos) ofereça algum empecilho ou ameaça a seus planos de poder. Mas, nesse momento, esta possibilidade está afastada, pois Elfhelm fica muitíssimo distante de Midland, do outro lado do oceano, e Griffith está ocupado e concentrado em recuperar e restaurar o Reino de Midland.

A devoção de Sonia por Griffith é tanta que acredito que ela se sacrificaria pelo sonho dele. Será?


Gostaram do review? Alguma crítica ou sugestão? Pode comentar ou nos mandar por mensagem! Quer acompanhar nossos reviews e teorias? Curta nossa página 😉

 

Comments

comments