[Review] Magi: The Labyrinth of Magic – Desejos (Cap. Final)

Vamos falar sobre a última noite! Nossa provável última discussão sobre Magi:LoM, discutindo sobre esse último capítulo que divide a opinião de muitos sobre uma obra incrível!

Antes de chorar discutir sobre o final da obra, tentarei focar no último capítulo em si. Muita gente já sabia que o tema principal desse capítulo seria o casamento de Alibaba com Morgiana, o qual Ohtaka-sensei quis fazer um pouco de mistério sobre como seria, já que todo mundo conseguia deduzir que ia rolar pelas últimas páginas.

O capítulo começou me empolgando… confesso que shippava hakumor e alikou, mas a animação durou poucos segundos.

Enquanto Alibaba sai vagando triste por aí, de forma a dar um tom cômico nesse final, mas sem exagerar, podemos ver como o mundo ficou após quase voltar para o Rukh. Ninguém mais sabe onde é a terra de ninguém, e como ninguém tem poder para decidir na luta o que vai ser de cada um, as coisas parecem estar sendo resolvidas politicamente.

As antigas nações devem voltar, mesmo com a terra toda nova. O final que esperávamos ver lá pelo início do mangá, com apenas um rei soberano, foi mostrado como inviável. Então seria forçar demais um mundo novo e feliz, com todos se unindo, criando uma só nação e aceitando uns aos outros. Como eles ainda estão cooperando bastante entre si para reerguerem as nações, essa discussão para ver quem vai dominar o quê é o mais coerente diante de tudo mostrado na obra.

Ohtaka tem o dom de deixar tudo muito lindo, alguns podem até pensar que seria ótimo morar em um lugar assim, mas essa terra e gravidade bugada já é motivo para anos de adaptação.

Tivemos um destaquezinho para alguns dos antigos generais de Sindria, onde eles aparecem refletindo, dando a entender que todos estão pensando em Sinbad. Acredito que os outros não foram focados pois aparecerem em outras partes do capítulo. O destaque para as falas de Drakon e da viúva de Sin Ja’far foi bem justo, diante das histórias deles ao lado de Sin, e novamente realçam a ideia de que Sin um dia voltará.

Não acho que isso seja uma “ponta solta”, já que o finado tem seu próprio Spin-off e pode ressuscitar por lá. Se não voltar, ao menos que em SnB tenhamos essa confirmação. Por falar na obra, para quem ainda não viu e gosta de Magi, vai lá ver, pois você vai amar não se arrependerá e ainda tirará o vazio que Magi pode ter deixado no seu kokoro, ou ao menos na sua semana.

Eu também acredito, Ja’far. Espero ver uma demonstração melhor do futuro dos ex-generais em SnB

Após mais um pouco de comédia e uma zoação gostosa em cima de Alibaba, o loiro faz sua última homenagem a Cassin na obra. Já vimos bastante disso, mas um dos focos dessa parte foi trazer mais uma reflexão sobre o ser humano. Espero que você tenha tirado boas lições dessa obra, pois, apesar dos traços maravilhosos, boas lutas, histórias e diálogos envolventes, Ohtaka se esforçou bastante também para nos fazer refletir sobre nós mesmos (e muitas outras coisas). Não dá pra dizer o objetivo verdadeiro dela, já que cada um acaba interpretando a história de uma forma diferente, baseando-se em suas próprias experiências de vida. Se em nenhum momento da obra você se pegou pensando sobre as discussões abordadas, sinto muito, mas você leu errado. Volta e lê de novo.

Novas tecnologias que mudam o ritmo do mundo acabaram dando novos ares às histórias descendentes de outros grandes universos, como em Boruto e A lenda de Korra. Será a vez de Magi?

O outro foco dessa parte foi mostrar que ainda teremos magias, só que de uma forma mais científica, como foi bem abordado quando Alibaba tentou fazer Kou se reerguer economicamente. Ou seja, como tudo agora é totalmente novo e está bagunçado, eu diria que há espaço para outro spin-off nesse novo mundo!

Alibaba tinha demonstrado um grande desejo de “salvar” a galera de Alma Toran que o ajudou. Esperava que isso fosse abordado de alguma forma nesse capítulo, então acreditarei que ele imagina que essa nova tecnologia também o ajudará a alcançar tal objetivo.

Em seguida, vemos Alibaba voltando para o nos mostrar último grande desenho caprichado de Ohtaka-diva: Morgiana e seu lindo vestido de casamento. Uma obra feita em conjunto, mas a pedido de Aladdin. Mais um grande reforço para demonstrar o relacionamento dos dois, que nunca foi de um candidato a rei e seu magi. Sobre o casamento… bem, parece que teve, mas nada ficou explícito sobre como foi.

Eu esperava ver mais festa, mas foi bem legal o foco na alegria do casal, de alguns amigos e principalmente dos Fanalis! Afinal, a raça de Morgiana, assim como todos do outro lado da fenda, agora não ficarão mais segregados. Ao que parece, a “família Alibaba” vai ficar muito por essas bandas.

Seria legal se todos os Fanalis terminassem com só um aspecto. Como eu nunca achei Alibaba tão romântico, seria um bom momento para ele demonstrar que ficaria com Morg de qualquer forma. Mas vamos manter os pés no chão, porque isso é um mangá shounen, não uma fanfic XD

E por falar em família, tivemos a despedida definitiva da família de Aladdin. Não vimos muito da despedida da galera de Alma Toran, mas tudo indica que um dia, talvez na morte, Aladdin os reencontrará. Notem também que tivemos o fato de Ugo ter tomado uma decisão própria de forma enaltecida. Ele até reforça que Aladdin deve seguir seu próprio caminho usando sua própria força. O que complementa a ideia de cada um ser diferente e do respeito a essa diferença, discutida lá entre Alibaba e seu amigo no além.

Temos uma outra possível discussão interessante, que diz respeito inclusive ao título do capítulo. Acredito que aqui temos uma mensagem do tipo “você não precisa dos Djinns para realizar os seus desejos, só precisa lutar por eles e os alcançará”, que é algo pouco abordado sobre toda essa mitologia dos gênios. Mas não seria nada mal achar uma lâmpada mágica por aí…

Então, parece que acabou. Contudo, grandes mangás, principalmente com tantos personagens cativantes, têm dificuldade para amarrar tudo. Tanto que algumas histórias, como Naruto, acabam lançando continuações com foco em determinados personagens em formatos diferentes, como OVAS, filmes e Light Novels. Eu ficaria feliz com algumas histórias extras de Magi.

Depois de Alibaba tomar tantas decisões ao longo do mangá, algumas até duvidosas, a respeito de Balbadd, nem sabemos como ficou a relação entre o antigo príncipe e sua terra.

Nesse capítulo, ficamos sem ver exatamente o que ocorrerá com Arba, que por muito tempo foi a principal vilã desse mangá. Ela vai ficar como loli olhando o mundo até sua morte? Esse é o fim que um personagem tão bem construído merece? Para mim não. Eu esperei ao menos uma redenção (ela inclusive mostrou indícios disso ao longo do arco) ou punição por tanta coisa. Não vimos também um final melhor para o clã Ren, fora Kougyoku, e a participação deles ao longo de toda obra foi fundamental, além de ter criado vários fãs.

Não podemos dizer que ela teve um final feliz, mas esperava muito mais dela/para ela ao longo de todo o último arco.

Por falar no clã, a participação de Hakuryuu nesse final foi bem fraca. Para um dos personagens principais, acredito que ele merecia mais que expressões e falas de zoação. E por falar em Hakuryuu, o final de Judar para mim foi quase nulo. Sendo rendido a uma cena que nem engraçada foi. A dupla de “anti-heróis”, para mim, poderia até ter um spin-off próprio, pois parecem os únicos que realmente teriam o espírito de sair em uma aventura por esse novo mundo, ao contrário de Alibaba e Aladdin, como sugerido na última narração do mangá. Afinal, eles praticamente não são apegados a ninguém, Judar ainda tem sua magia (não sabemos até que ponto) e Hakuryuu treinou muito na vida para ser um guerreiro, independentemente de receptáculos. Fica aí a dica, Ohtaka.

Até o bicho que ninguém lembrava apareceu no fim e Koen não… Trágico

Como esse capítulo também marca o fim de um arco, falarei brevemente sobre o que achei (estou com pena de acabar esse review ;-;).

O início para mim foi muito bom e eu estava super empolgado com o retorno de Alibaba e os seus feitos incríveis em um novo mundo “pacífico” e liderado por Sin. Quem começa vendo o arco daquele jeito, jamais imaginaria que rumo teria. Desde que Sinbad começou a forcar hard em chegar no palácio Sagrado, vimos a história praticamente transitando para ele se descobrir, achando suas principais respostas por meio dos 4 garotos principais.

Em meio a tantos debates filosóficos, tivemos também muitas lutas rasas, um arco com um potencial tão grande para aproveitar tantos personagens (Morgiana foi totalmente jogada para escanteio conforme o tempo passava, e foi ainda pior no fim) basicamente foi se afunilando cada vez mais nas mãos de Alibaba e Aladdin, com Sin reforçando no plano de fundo. Sem muitas surpresas e mortes chocantes (todo mundo já tinha imaginado que Sin morreria), com a colaboração de todos para derrotar um grande mal (David-final-boss para mim também não foi tão empolgante), sendo liderados pelos protagonistas, tivemos mais um final comum de shonen. Isso é ruim? Para mim não,  mas acho poderia ter sido beeem melhor aproveitado.

Imagina só, se alguém desse universo se torna o mago da criação de outro, motivando o destino deste outro a destruir todas as barreiras entre os universos! Nos resta só ficar imaginando coisas, já que chegou o fim.

No geral, se você é daqueles que ficou com um feeling ruim a respeito do final, lembre-se que a obra como um todo é magnífica. Se você gostou do final, agora só resta saber se SnB também será tão bom. Eu nunca fiz um review de final de obra antes, então comenta aí o que você achou do final de Magi e do arco final, para eu saber se concordam, discordam ou até mesmo tem algo a completar sobre o que opinei. Também ficaria feliz se comentassem o que acharam dos reviews ao longo de todo esse tempo (caso tenham lido :P).

Se tiver interesse em escrever sobre algum mangá/anime, manda uma mensagem para a gente pelo otakunoemaki@gmail.com ou pelo facebook, e se você quer sempre ficar por dentro de qualquer conteúdo relacionado a Magi LoM ou SnB, curtam a página de Magi Br e participem do grupo, pois tem muito conteúdo maneiro lá. Abraços!

O único quadro que salvou o Sharryamu. Ohtaka semeou  vários ships, quase que explicitamente, incluindo Aladdin com Kougyoku. Deveria ao menos encher o final com fan-services também XD

Valeu, Ohtaka!

Comments

comments