[Review] Kingdom – Derrubando um ao outro

Que hype, digo capítulo, bom! Eu nem sei por onde começar. Tem o rei mais nojento de todos, a numerologia desfavorável para Qin, Kanki sozinho com Gyou, os inimigos definidos… Bom, vamos lá, eu vou começar por algum lugar.

Do início, então. Pela primeira vez (eu acho) vou tentar seguir a ordem do capítulo. O rei de Zhao não tem a menor vergonha em mostrar que é um egoísta miserável. Ele se mostrou mais fdp do que eu esperava. Recusar a saída das tropas de Kantan para garantir a segurança pessoal dele, ok, mas cagar completamente para Zhao contanto que sua vida confortável seja mantida é estupidez demais. Me faz lembrar de um trecho que eu amo do livro Espártaco do Howard Fast:

“Aos poucos um mundo todo se desfaz, sem que ninguém se preocupe com isso. E por que haveríamos de nos preocupar? Acontece tão lentamente e a vida do homem é tão curta!”

O Sei nunca disse nada disso e enfrentou rebeliões e este cara continua de boa no trono?

No caso, a diferença é que há muita gente se preocupando com Zhao, mas nenhuma delas está acima do rei. Eu só fiquei me perguntando como pode um rei falar tudo isso assim tão abertamente e nenhuma revolta ser desencadeada? Ninguém tenta um golpe de Estado ou pelo menos um assassinato? Vão mesmo ficar nessa esperança sofrida do Riboku de resistir aos tempos sombrios até que este rei morra e seu filho sensato assuma o trono? Isso não me parece nada promissor. Pra mim, só confirma que a queda de Zhao é iminente.

E por falar na queda, que estimativa de tempo bastante grande é essa do rei, hein? Kantan tem condições de suportar 20 anos de cerco? Só se o rei for comer cada um dos seus 100.000 soldados, o que não é de se duvidar. Mas, ainda assim, isso é totalmente impensável. Qin teria tempo para preparar todo tipo de equipamento de cerco e dar um jeito de passar pelas muralhas. Acho que essa estimativa foi muito exagerada, mas o que fica pra mim é que Kantan parece ser uma Gyou 2.0.

Hibernar por 20 anos…

Esse assunto não acaba por aí (e eu já me pergunto se vou conseguir chegar à última página do mangá, já que ainda estou na terceira). O Riboku também falou em anos. Neste ponto eu tenho duas perguntas imediatas: Por que? e Como? Primeiro, porque Qin demoraria anos para sair de Gyou e ir até Kantan se esta já é a campanha de aniquilação de Zhao e Qin tem muita pressa? Depois, como Qin conseguiria manter Gyou por anos sem ter uma linha de abastecimento? Ok, a cidade é enorme e bem fortificada, ela provavelmente possui meios de produção de alimentos e fontes de água, mas isto é suficiente? Gyou consegue se manter sozinha? Mesmo que seja, o que nem duvido, mas neste caso o que faria o Ousen esperar anos? Seria o tempo para Qin mobilizar mais tropas e enviar reforços para que, enfim, o exército do Ousen pudesse enfrentar os 100 mil de Kantan? Neste caso, o problema é os reforços passarem por todo o caminho até Gyou. Retsubi e a cordilheira Taikou continuam lá do mesmo jeito.

É curioso notar que aqui o Riboku já não tem mais pescoço…

Deixando de lado essas estimativas, vamos a algo muito mais imediato: as pregas do Riboku não serão perdoadas! A ameaça do rei é o de menos pra mim nesse momento. Eu fiquei de olho mesmo foi no servo (supostamente) fiel dele. Não sei se a cara que ele fez foi para o Riboku ou para a fala do rei, mas o que importa é que ele me parece um traíra de primeira. Continuo apostando que este cara vai ferrar grandão com o Riboku na primeira oportunidade. Quando isso acontecer, o Ousen só vai partir pro abraço. Aliás, há quem diga que o Kakukai está passando informações para o Ousen e por isso ele sabia que a guarnição de Kantan não deixará a cidade. Eu já acho que o informante pode ser o Kakukai ou qualquer outro. Nós já vimos que infiltrados na corte era prática comum. No mais, basta o Ousen conhecer a índole do rei Toujou para saber que o exército de Kantan nunca sairá de lá.

Suspeito

Prosseguindo, eu poderia falar agora sobre o príncipe Ka, uma versão efeminada do Sei, mas, justamente por ser uma versão efeminada do Sei, não há nada de interessante para ser dito. Então avancemos mais algumas páginas. O enxame de abelhas. Sim, o enxame. Depois dos gafanhotos, agora abelas. (Weevil Underwood [parente de Frank Underwood?] está gostando muito disso.) Você notou como o número de cidades nos mapinhas do Hara só tem aumentado? Eu vou lendo e vou ficando desesperado por Qin. Além dos números de Zhao serem bem maiores, há vários exércitos espalhados pela região. Agora, por que diabos não juntam todos em um e parte para cima de Gyou? Ou começam matando a Yotanwa…

A cada capítulo nascem novas cidades na região central de Zhao.

Não! Sai pra lá! Com a Yotanwa ninguém mexe porque o salvador Heki está a caminho! É claro que eu não poderia deixar de falar sobre isso, mas, de fato, o momento já fala por si. Só pergunto: vai dar namoro? Seria hilário se a deusa da morte acabasse casando com um general bosta como, mas legalzinho, como o Heki. Mas talvez eu devesse estar me perguntando por que o Ousen escolheu o Heki… Não, é só roteiro. O general da testa riscada não possui nenhuma habilidade especial que o Ousen possa ter visto na batalha contra o Renpa. E mais do que isso, o Heki claramente não é nenhum monstrão. Portanto não existe qualquer motivo especial para a escolha dele já que agora vai tudo se resolver no braço de ferro. Falando nisso, por que o Ousen e o Riboku não sentam e decidem o destino de Zhao numa partida de xadrez? Bem mais civilizado.

Menos, Heki.

Heki mencionado, vamos voltar aos números. Eu sempre gosto dos números. Estes estão desfavoráveis de todo jeito para Qin. E eu aqui esperando que o Ousen fosse vir com uma solução estratégica, mas não, agora é força contra força. Ok, mas me diz de onde vem essa confiança toda na força do seu exército, Ousen. É claro que na hora da porradaria rola muita estratégia e táticas e isso é o que mais pode dar conta da desvantagem numérica, mas o outro lado tem o Riboku que não só é especialista nisso como conhece muito bem o terreno e pode dar vários pelé no Ousen. O cenário está bastante preocupante, ao meu ver.

Por falar em estratégia, eu pensei que a justificativa para o exército da Yotanwa ficar com um número bem menor seria a força dos guerreiros das montanhas. Isso até foi mencionado pelo oficial do KSR no penúltimo capítulo. Ele falou que, apesar da diferença de números, eles não conseguiam grandes resultados contra os guerreiros das montanhas porque bastava se aproximar para estes reagirem como demônios. E nesse sentido também eu não vejo como os reforços do Heki poderão ajudar. Na verdade, me parece que o Ousen está apenas equilibrando um pouco mais os números só pelos números mesmo, mas está enviando tropas mais fracas. Com isso, eu espero que o Heki sirva muita mais, se não exclusivamente, como um reforço estratégico do que propriamente um aumento de força. Ele pode atuar como unidade independente, servir de distração ou algo assim.

Por fim (acho que é o fim), quero voltar a questionar as razões para as forças de Zhao não se unirem. Eu coloquei umas setas e nomes no mapa acima para entender melhor os movimentos que serão feitos. Podemos ver aí que o Riboku vai se afastar de Gyou e que, pior, muito pior, o Ousen vai marchar todo esse caminho em direção ao norte para confrontar o Riboku. Primeiro de tudo, volte à imagem do enxame e se pergunte: que caminho as duas forças de Qin (Ousen e Heki) farão para chegar ao seu destino sem trombarem com as tropas que estão a caminho de Gyou? Segundo, por que o Riboku e o exército de Atsuyo não se juntam às tropas de Ryouyou? Terceiro, por que não unificar os exércitos? Isso é algo que eu não consigo entender, mas fico imaginando que existam questões logísticas aí. Além disso, embora o mapa do enxame faça parecer que todos estão próximos, nessa época a distância entre uma cidade e outra costumava ser de um ou mais dias. Deste modo, há espaço para as tropas de Qin passarem sem entrarem em conflito com as de Zhao. Fora isso — e este deve ser o ponto que explica a não união dos exércitos —, seriam necessários dias para reunir todas as tropas, ou pelo menos uma quantidade suficiente para libertar Gyou, e até lá Gyou já teria caído. Pensando dessa forma, talvez a questão não seja que o Riboku não quer unir Atsuyou a Ryouyou, mas apenas que não daria tempo de fazer isto antes do Ousen se colocar no caminho do exército de Atsuyo.

Não, ainda não era o fim. Me enganei. Eu não posso terminar sem antes falar sobre o Kanki a sós com a fragilizada Gyou. Posso até terminar sem comentar os pares de inimigos e sem especular sobre o Shunsuiju e seu embate com a Yontanwa, mas ignorar Kanki e Gyou mais as abelhas intrusas eu não posso. Isso porque tem gente falando que ele vai meter o pé e largar tudo em vez de ficar recepcionando exército por exército de Zhao. Outros acreditam que seus homens não serão leais e fugirão pelo mesmo motivo. Acho isso tudo possível, mas pouco provável, simplesmente porque ele não tem rota de fuga no momento. A sucessão de batalhas é inevitável agora. Mas eu penso que ele fará algo para acelerar a queda de Gyou e até imagino que ele consiga entrar na cidade.

Vale lembrar que ninguém que sabe da fraqueza dele está indo confrontá-lo, então imagino que não vai ser agora que o Kanki vai se ferrar. Por enquanto, eu acredito que ele vai montar algumas barricadas, armadilhas e o que for possível para atrapalhas as tropas que estão chegando. Depois de derrotar o primeiro exército, ele vai começar o ataque psicológico contra Gyou. Isso pode ser feito lançando cabeças e pedaços de corpos por cima das muralhas ou apenas empilhando tudo do lado de fora a fim de deixar um cheiro horrível que piore a situação de quem está dentro e atormente quem está chegando. De qualquer forma, vai ser muito louco se o Kanki conseguir tomar Gyou. Antes disso, porém, ele vai precisar se certificar de que todos que estão lá dentro estão realmente mortos, ou poderia cair numa armadilha. Alguém discorda que este seja o cenário perfeito para ele? A população de dez cidades reunidas em apenas uma e todos mortos esperando pelo atestado de óbito. Vai ser o dia mais feliz do Kanki, e espero que aproveite bastante, pois o Riboku tem algo preparado para ele.

Agora sim termino e vamos logo ver se o 518 já saiu. Até a próxima!

Comments

comments

Publicado em Kingdom, Review por Ityuli. Marque Link Permanente.

Sobre Ityuli

Psicólogo, negro e cabeludo, mestrando em educação e saúde pela UNIFESP - Guarulhos. Me interesso pela sociedade e seu funcionamento. Por causa disso, estou sempre lendo os mangás com olhar crítico e enxergando nosso mundo atual nas histórias fantasiosas de mundos alternativos.