[Review] Berserk – Passagem dos Sonhos

Enquanto os seres encantados de Elfhelm dão uma fantástica e mágica festa para Guts e companhia, Schierke e Farnese, guiadas por Danan, continuam sua jornada nas profundezas da mente de Caska.

Uma extraordinária festa abre esse capítulo e renova a esperança dos berserkianos por dias melhores. Para quem pensa que Berserk é só tristeza e sofrimento, eis ai uma porção de alegria e felicidade. Aliás, depois de anos de perigo e tormento constantes, arriscando a vida e sendo atormentado dia e noite, sem conseguir ter uma noite normal de sono, Guts, finalmente, encontra pleno sossego e uma paz confortante em Elfhelm. Humanos, elfos, bruxas, gnomos e demais criaturas encantadas se confraternizam harmoniosamente. As criaturas mágicas de Elfhelm adoram a diversão mais que tudo e, quando Danan não está por perto para contê-los, tudo é visto e tratado como divertimento e brincadeira, até mesmo os erros e falhas dos outros; eles não levam nada a sério e querem transformar tudo em travessuras. Pena que os humanos não tem toda essa disposição e energia para um longo e frequente divertimento, a não ser que a magia dos elfos os envolva de tal forma que eles se sintam ininterruptamente impelidos a se divertirem cada vez mais.

Eles estão se aproveitando da ausência de Danan para darem essa festança…hahaha.

No capítulo 342, a sereia Swhat, mãe de Isma, alertou aos humanos sobre o perigo de permanecerem muito tempo na Ilha dos Elfos devido ao fluxo temporal, já que o tempo em Elfhelm flui diferentemente do tempo do mundo exterior. Nesse mesmo capítulo, Schierke menciona um antigo conto de fadas sobre crianças que foram atraídas por elfos para a vila deles, e após se divertirem tanto com os elfos, acabaram se esquecendo do tempo, e quando voltaram para casa, haviam se passado décadas. Isso acontecia, segundo a lenda, porque o tempo das brincadeiras e diversões dos elfos se dá em um ritmo temporal lento e quase imperceptível, em que a sensação da passagem do tempo pelos humanos é pouco notada ou, as vezes, não é notada. Assim, quando os Arquimagos se queixam sobre os elfos se empolgarem demais nessa festa, estão demonstrando um certo temor em relação a possibilidade das fadas alterarem o fluxo do tempo, já que, provavelmente, a empolgação e entusiasmo do divertimento das fadas podem influenciar de alguma forma na marcha do tempo em Elfhelm. O problema nisso tudo é que, aparentemente, Danan é a única capaz de controlá-los e contê-los, mas não está por perto agora devido está muito ocupada ajudando Caska.

Os dois golpistas que tramaram o impeachment de Danan se deram mal…hahaha.

Os elfos e duendes transformaram em diversão e travessura até mesmo o castigo imposto a Puck e Magnífico. Aparentemente, todos estão se dando muito bem, humanos e não-humanos, diferente de quando os humanos chegaram na Ilha dos Elfos, em que foram recebidos e tratados de maneira agressiva, suspeita e indiferente. Até mesmo Isidoro fez as pazes com os bruxinhos, apesar de estar se exibindo demais. Mas nem todos estão imersos e participando ativamente dessa calorosa confraternização. Guts não consegue parar de pensar em Caska; aliás, ele está muito preocupado com Caska e, principalmente, muito ansioso e impaciente pelo resultado da magia de Danan, pois não é certeza absoluta que a Passagem dos Sonhos pode curar a mente de Caska. Agora o único jeito é ter paciência e esperar.

Quem ama de verdade se preocupa com a pessoa amada!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Guts teme o futuro porque teme que Caska não concorde com sua vingança!

No entanto, Serpico e Roderick resolvem aparecer para livrar Guts da melancolia e da inquietação. De certa forma, Serpico e Roderick conseguem confortar e alegrar um pouco o ânimo abatido e apreensivo de Guts. No fim, os três acabam desabafando um para o outro. Guts reconhece mais uma vez que a ajuda do grupo foi fundamental para ele cumprir sua jornada com sucesso; reconhece que sem o auxílio de todos do grupo não teria chegado à Elfhelm. É muito bom ver um pouco de gratidão esboçada na face e no espírito de Guts, já que até bem pouco tempo atrás ele agia de forma solitária, individualista, insensível e mesquinha, só se importando consigo mesmo, com sua vingança e com Caska. Isso mostra que Guts voltou a se importar com as pessoas a sua volta; seus novos companheiros, recuperou sua humanidade solidária e altruísta dos bons e velhos tempos do Bando do Falcão.

Guts voltou a acreditar naquele ditado que diz que "a união faz a força"!

Guts voltou a acreditar naquele ditado que diz que “a união faz a força”!

Guts reconhece que não conseguiria fazer tudo sozinho!

Aos poucos o coração duro e pesado de Guts vai amolecendo e ficando mais leve, e esse “milagre” se deve a atmosfera pacífica, aprazível e confortante de Elfhelm. Assim, esperamos que Guts passe mais tempo na Ilha dos Elfos, mesmo depois da provável cura de Caska, pois isso fará muito bem para o ânimo dele. Voltando ao desabafo dos três, Serpico, enfim, reconhece sua gratidão ao Guts, já que Guts foi a única pessoa capaz de causar e despertar um intensa mudança positiva em Farnese, fazendo-a deixar de ser uma garota mimada, arrogante, amarga e autoritária, mas tornando-se uma pessoa melhor, mais humilde, gentil e doce. De fato, graças ao tempo que Farnese passou com Guts, Schierke e Caska, aprendeu a se tornar um ser humano mais solidário e prestativo. Espero que ela se torne uma “madre Tereza de Calcutá” e não apronte mais nada. Depois desse desabafo sincero de Serpico, fiquei me perguntando se Roderick ficou com alguma pontinha de ciúmes, já que ele gosta de Farnese como mulher e pretende desposá-la. Uma outra coisa importante nesse desabafo a ser notada é que Serpico admitiu para Guts que não sente mais desejo de matá-lo. Serpico agora sabe que Guts fez mais bem que mal a Farnese, pois sua obstinação e devoção por segui-lo em sua jornada a deixou mais forte e independente também.

Elas apenas seguem em frente pelo Caminho das Pétalas!

Ao mencionar o laço forte de amizade e confiança que se gerou entre Farnese e Caska, Guts relembra as palavras pesadas do Cavaleiro Caveira, que lhe dissera que a reabilitação mental de Caska não daria garantias de que ela ficaria ao seu lado e o apoiaria em sua vingança contra Griffith. Esse aviso do Cavaleiro Caveira incomoda e preocupa Guts porque ele sabe que Caska nutria imensa devoção, inspiração, respeito e gratidão por Griffith, e por conta disso teme que ela queira ou deseje voltar para Griffith mesmo depois de tudo. Caso Caska seja reabilitada e volte a ser aquela pessoa normal de antes do Eclipse, ela poderá escolher voltar para Griffith (ou não!). Sabemos que Caska nunca amou Griffith como homem, mas apenas sentia por ele sentimentos de respeito, gratidão e devoção, pois ele a salvou quando criança e lhe deu um novo sentido de vida quando a trouxe para o Bando do Falcão. Sabemos que Caska ama Guts como homem e gosta dele de verdade. Assim, é mais provável que ela fique com Guts caso tenha sua mente e memória restabelecidas!

A primeira lembrança importante de Caska se manifesta e se mostra para elas!

A Chama do Sonho, Capítulo 22, página 08. Foi ai onde tudo começou!

Essa lembrança de Guts nos transporta para a interior da mente fragmentada de Caska, onde Schierke e Farnese, guiadas pela magia de Danan, continuam e seguem obstinadas em sua jornada para desvendar o mal que definhou a consciência de Caska. Um forte e estranho vento tenta repeli-las e dificultar sua caminhada, tentando empurrá-las para outra direção e afastá-las de algo que aparenta ser uma clareira. Tão logo elas se aproximam cada vez mais da clareira, se deparam com uma fogueira e um homem de costas contemplando uma miríade de pontos luminosos. O homem é um Guts do passado; um Guts risonho e falante! Mas toda a imagem não passa de uma antiga memória de Caska; uma lembrança dos tempos áureos do Bando do Falcão! Esse quadro de memória equivale a uma noite de descanso e repouso do Bando do Falcão depois de uma importante vitória no campo de batalha. Essa lembrança representa o momento em que Caska começou a ver Guts com outros olhos; com olhos de gratidão e amor; começou a valorizar e reconhecer suas habilidades e capacidades de maneira respeitosa e grata, como soldado e homem. Mas o mais importante de se dizer aqui é que foi a partir daí que Caska começou a ter sentimentos amorosos por um homem, começou a se apaixonar de verdade por um homem. Essa memória é importante e cara para Caska porque demonstra o momento em que ela começou a gostar de verdade de Guts; começou a amar Guts de verdade como mulher.

Elementais mentais! Eles parecem ser maiores e mais poderosos nos sonhos!

Esse capítulo mostrou que a cura para a mente de Caska consiste apenas em se encontrar e recuperar as principais memórias e lembranças de Caska e devolvê-las para ela. Aquela boneca incompleta e quebrada representa a mente fragmentada de Caska que precisa ser restaurada. Assim, cada vez mais que a jornada adentrar mais e mais no inconsciente de Caska, Schierke e Farnese irão se deparar com as memórias perdidas que marcaram a vida de Caska. Como essa memória que se manifestou pertence a uma época inicial e decisiva da vida de Caska, penso que as demais memórias se manifestarão em linha cronológica. Se for assim, então sabemos onde isso vai parar! Provavelmente irá terminar com as sinistras memórias do Sacrifício. Daqui que Schierke e Farnese encontrem e recuperem todas as memórias essenciais de Caska, provavelmente demorará muito, já que a boneca está reduzida pela metade e precisa ser reconstruída totalmente. Provavelmente, isso levará tempo e mais capítulos. A não ser que se precise apenas restaurar a parte da boneca correspondente a cabeça que representaria a consciência e a mente de Caska. Essa suposição é plausível porque ao recolher o fragmento, o cachorro o pôs na posição referente a cabeça da boneca. Se for isso mesmo, então levará menos tempo e menos capítulos.

O poder dos elementais parecem mais potentes quando invocados mentalmente!

Para terminar com aquela sensação de suspense e ação, Miura trouxe de volta aqueles macabros morcegos. Provavelmente, Miura assim o fez para mostrar aos leitores que a função dos “morcegões” é impedir que a mente de Caska seja restaurada. Mas se esses sinistros morcegos são produtos do inconsciente de Caska, por que eles a atacariam? Será que esta é uma ação inconsciente de Caska devido ao trauma do Sacrifício? Ou será se é um efeito do Estigma a operar de maneira a impedir a cura de Caska? Será se esses estranhos morcegos personificam a monstruosidade dos Apóstolos ou a perversidade de Femt? Pensemos nisso para os próximos capítulos.

Falando nisso, parece que a magia fica mais poderosa nos sonhos, pois os dois elementais invocados por Schierke parecem mais potentes no mundo dos sonhos do que no mundo real. É provável que isso se deva ao fato de o mundo dos sonhos ter uma ligação maior e mais intensa com o mundo espiritual e astral do que com o real. Independente dos detalhes, esperamos e torcemos para que a magia mental de Schierke dê cabo desses esquisitos morcegos para que ela prossiga em sua jornada rumo a recuperação e restauração da alma de Caska.


Gostaram do review? Alguma crítica ou sugestão? Pode comentar ou nos mandar por mensagem! Quer acompanhar nossos reviews e teorias? Curta nossa página: https://www.facebook.com/otakunoemaki/.


 

Comments

comments